Amazonenses terão sequência de feriados prolongados; confira opções naturais de lazer

Fonte: https://www.acritica.com

O feriado prolongado da Semana Santa, que começa nesta sexta (15) e vai até domingo (17), ainda nem chegou e os amazonenses já ganharam outro feriadão na próxima semana.

Isso acontece pois a sexta-feira (22), que vem logo após o feriado de Tiradentes, foi determinada como ponto facultativo pelo governador do Amazonas, Wilson Lima.

De acordo com o decreto publicado no dia 8 de abril, a decisão levou em conta “a necessidade da contenção de gastos com o funcionamento da máquina administrativa nos dias que intercalam feriados e fins-de-semana”.

O ponto facultativo valerá para todas as repartições públicas, autarquias e fundações do Estado, ressalvados todos os procedimentos já agendados pelo Sistema Estadual de Saúde.

As secretarias estaduais de Educação e Desporto (Seduc) e de Administração e Gestão deverão estabelecer cronogramas de compensação das horas conforme previsto em suas gestões, respectivamente.

O que fazer?

E com estes dois feriados prolongados no mês de abril o que não faltam são opções de lazer para aproveitar ao máximo esses dias fora da rotina.

Seja para fugir do estresse urbano, aproximar-se da natureza ou apenas aproveitar o tempo com familiares e amigos, o destino de muitos amazonenses acaba sendo fora da capital.

Os principais locais turísticos que servem de “refúgio” nesse feriado prolongado vão de balneários e flutuantes no Rio Negro, acampamentos próximos a cachoeiras e até sítios particulares no interior do Amazonas.

Balneários e flutuantes

Uma das atividades que mais cresceu nos últimos anos no Amazonas foi a recreação em balneários e flutuantes no Rio Negro. Segundo o Instituto de Proteção Ambiental (Ipaam), há 489 flutuantes no local entre residências, estabelecimentos comerciais e balneários.

Para o estudante de turismo, Leonardo Silva, a melhor forma de comemorar o seu aniversário de 24 anos que neste ano cai no Domingo de Páscoa, é com amigos em um flutuante no meio do Rio Negro, por ser uma opção de lazer diferenciada e barata.

“Sempre vou para flutuante com o pessoal da faculdade, meus amigos. A gente sempre escolhe por ser uma opção mais econômica. Alugando o flutuante, dividimos os valores igualmente para todo mundo. Não sai caro para ninguém do que ir para uma praia ou cachoeira. Além disso, é um diferencial que temos na nossa região. Acho incrível por estarmos no meio do rio, no contato direto com a natureza”, comentou Leonardo.

Ruínas de Paricatuba

Declarada patrimônio histórico cultural e imaterial do Amazonas, a Vila de Paricatuba situada no quilômetro 21 da rodovia Manoel Urbano (AM 070), no município de Iranduba, é um dos pontos turísticos mais procurados não só pelos amazonenses, mas também por turistas de diversos estados do país.

Na Vila, um dos principais atrativos são as ruínas de um edifício histórico, que já hospedou imigrantes no período da borracha, liceu de artes, e chegou até ser um presídio e hospital para pessoas com hanseníase.

E este ambiente histórico e bastante curioso já foi um dos locais em que a jornalista amazonense Thayanne Barbosa visitou.

A jornalista destaca que costuma se reunir com um grupo grande de amigos duas ou três vezes ao ano para poder acampar com segurança em locais afastados. Para ela, a atividade principal que não pode faltar no acampamento é a diversão entre os amigos.

“Montar barraca, fazer fogo, jogar e fazer brincadeiras com os amigos. Adoro ‘ficar de bubuia’ na água. Então não pode faltar cachoeira ou rio para curtir bastante”, acrescentou.

Cachoeiras de Presidente Figueiredo

O município de Presidente Figueiredo, conhecido como “A Terra das Cachoeiras”, é uma ótima opção para quem deseja fugir do calor da cidade. Há pelo menos 15 cachoeiras situadas em toda a extensão do município. As mais famosas são as cachoeiras de Iracema, Santuário, Porteira, Pedra Furada, Onça, Orquídeas e Parque do Urubuí.

Acompanhada de amigos, Thayanne Barbosa já acampou em diversos lugares, inclusive em Presidente Figueiredo. Segundo a jornalista, a preferência é acampar em locais próximos a cachoeiras que além de aproveitar a água, também consegue se desestressar da rotina de trabalho.

“Como gosto bastante de cachoeiras e rios, sempre busco lugares onde eu consiga acampar e aproveitar bastante a água. Na verdade, a fuga da cidade acaba acontecendo por esses lugares serem mais distantes e é ótimo para desestressar”, relatou Barbosa.

Sítios e pousadas

Já para a microempresária Êmila Safira, natural do município de Autazes (distante a 112,45 km de Manaus), a principal opção de lazer é estar com a família no município onde nasceu.

Êmila se mudou para a capital em 2016, para concluir o ensino médio e logo em seguida ingressar na universidade. Apesar disso, sempre que possível viaja para o sítio da família durante os feriados prolongados.

“O que mais me desperta interesse em fugir da vida urbana de Manaus é ver a família, principalmente meus pais que moram em Autazes. Costumo ir para o sítio dos meus pais. E como tradição de todos os anos, nesta Semana Santa, vou passar ao lado dos meus familiares e amigos”, comentou.

Além de Autazes, Êmila também já buscou refúgio da cidade nas cachoeiras de Presidente Figueiredo e já se hospedou em Nova Olinda do Norte. Para Êmila, uma das atividades que mais gosta de fazer em cidades do interior, como Autazes, é passear de motocicleta pelas ruas.

“Eu gosto muito de andar de moto. Me sinto muito mais à vontade porque em Autazes, por exemplo, não tem trânsito. Quer dizer, quase não existe. É um local menos movimentado que te permite andar tranquilamente”, destacou Êmila.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *