Eleições

Após se declarar pardo, Braga é obrigado pela Justiça Eleitoral a voltar a ser da raça branca em registro do TSE

Foto: Divulgação

O senador Eduardo Braga (MDB), candidato a governador do Amazonas, voltou a ser da raça branca em seu registro eleitoral no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) após determinação do desembargador eleitoral Victor Liuzzi Gomes.

A decisão emitida nesta segunda-feira (29) veio após o candidato ter se declarado na última terça-feira (23) como ‘pardo’ possivelmente para impactar o financiamento da campanha pois a legislação eleitoral mudou e agora prevê mais verba pública de campanha e tempo de TV para quem se declara negro [que reúne pretos e pardos].

O político quis justificar a mudança falando nas redes sociais de seus ancestrais. “Meu pai, Carlos dos Santos Braga, é filho de Dona Etelvina, afrodescendente, e caboclo com muito orgulho. Ser filho dele não deixa dúvidas de que sou pardo. Ainda bem que a luta contra o preconceito avança no Brasil”, disse o senador.

Acontece que, em todas as eleições que disputou, o político sempre se declarou branco.

O candidato a deputado estadual, Robson Tiradentes (PSC), entrou com uma ação na Justiça Eleitoral para impedir que Eduardo Braga acesso a verba destinada aos negros.

“Consigna-se que o candidato Eduardo Braga só agora retifica sua raça para pardo visando ser beneficiado com valor maior de recurso público, acarretando desequilíbrio do pleito em detrimento dos demais participantes, além de demonstrar claro uso indevido e desvio de poder econômico”, argumentou Robson Tiradentes.

ampost

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *