Brasil está fora da zona de alarme da Covid pela primeira vez desde julho de 2020

Especialistas alertam, todavia, para a suspensão da exigência do uso de máscaras
DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO – 18.3.2022

Pela primeira vez desde julho de 2020, o mapa da Covid-19 no Brasil está em verde, com os 27 estados do país “fora da zona de alerta” para o vírus, segundo o mais recente boletim sobre a pandemia, divulgado nesta sexta-feira (27) pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).Segundo especialistas do maior centro de pesquisa médica da América Latina, as taxas de infecção em todo o país estão abaixo de 60%, reflexo da tendência de queda que a pandemia vem registrando no Brasil.

Com quase 30 milhões de infecções e cerca de 660 mil mortes, o Brasil é uma das nações mais afetadas pelo vírus.O número de óbitos e casos hoje caiu em relação aos registrados em julho de 2020, quando a Fiocruz começou a monitorar a Covid-19 no país, já que a pandemia começou a ganhar força, quatro meses após a chegada do coronavírus.

Mapa da Fiocruz mostra percentual de ocupação dos leitos de UTI Covid por unidade da federaçãoDIVULGAÇÃO/FIOCRUZ

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, na quinta-feira (24), foram contabilizadas 312 mortes e 37.690 casos, enquanto na mesma data de 2020, registraram-se 1.311 mortes e 55.891 infecções.

Especialistas apontam que a queda nos números se deve aos avanços da vacinação no país, onde mais de 74% de seus 213 milhões de habitantes possuem o esquema vacinal completo (duas doses) e 34% já receberam a dose de reforço.No entanto, apesar da queda nos números, pesquisadores da Fiocruz ressaltam que não se deve baixar a guarda – especialmente no uso de máscaras liberadas tanto em ambientes abertos quanto fechados em várias regiões do país –, uma vez que as taxas de infecções, a incidência e as taxas de mortalidade pelo vírus “ainda são altas”.De acordo com os especialistas, os indicadores epidemiológicos e de vacinação “apontam para uma situação muito promissora”, porém apontam que “sob o princípio da precaução”, “considera-se prudente manter o uso de máscaras para determinados ambientes fechados, com grande concentração de pessoas (o que inclui o transporte público), ou mesmo espaços abertos onde há multidões”.O Brasil é o segundo país do mundo com maior número de mortes por Covid-19 e o terceiro em número de infecções, depois dos Estados Unidos e da Índia.

R7.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *