Política

Empresários pressionam Congresso contra medida de Haddad

Foto: Reprodução

Grupo Esfera Brasil é contra a volta do “voto de qualidade” no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), usado para desempatar casos de discordância entre a Receita Federal e o contribuinte.

O grupo de empresários Esfera Brasil fez um apelo aos presidentes da Câmara e Senado, Arthur Lira e Rodrigo Pacheco, respectivamente, para que o Congresso barre a volta do “voto de qualidade” no Carf, o tribunal da Receita Federal, uma das medidas previstas no pacote divulgado por Fernando Haddad, registra o Painel S.A. da Folha.

Extinto em 2020, o mecanismo servia como desempate nos casos de discordância entre Receita e contribuinte. O voto de qualidade compete ao presidente do Carf, geralmente um auditor, que dificilmente vota contra o Fisco.

Os empresários classificam a proposta de retomá-lo como uma das medidas “mais desastrosas a atravessar o caminho de uma economia que busca se recuperar”.

“O fim desse instituto injusto e oneroso foi um benefício inestimável para quem produz. Sua volta trará insegurança jurídica, incertezas na economia e fortes prejuízos às empresas. Além disso, o ministro da Fazenda [Haddad] também propôs que a União recorra ao Judiciário quando for derrotada no Carf, o que vai judicializar cobranças de modo a levar a economia à beira da impotência”, alega o Esfera Brasil.

Haddad argumenta que o fim do voto de qualidade provocou um prejuízo de cerca de US$ 60 bilhões por ano para a União e diz que ele será uma forma de diminuir os litígios pendentes no Carf; associações empresariais afirmam que a medida terá o efeito oposto.

Informação: AmPost

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *