Amazonas

Ipaam nega ter autorizado mineração com draga em terra indígena

 (Foto: Polícia Federal)
(Foto: Polícia Federal)

Uma exploração de ouro no Amazonas em área próxima a Território Indígenas está sendo feita com autorização de órgãos federais e ambientais, de acordo com reportagem da Folha de S.Paulo do último sábado (17). Nesta segunda-feira (19) o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) negou ao A CRÍTICA que tenha autorizado a mineração na região da “Cabeça do Cachoro”, noroeste do Estado. 

O Ipaam informou que não emitiu licença para exploração de ouro em Terra Indígena (TI). Disse ainda que essa licença é de competência Federal e feita por meio da Agência Nacional de Mineração (AMN). 

“A licença emitida pelo órgão estadual trata apenas de autorização de atividade de pesquisa mineral em área do Igarapé Unei, na zona rural do município de São Gabriel da Cachoeira”, respondeu o órgão.

“Tal autorização para pesquisa mineral teve, ainda, anuência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), por se tratar de área de Bem Acautelado, e há mais de dez quilômetros dos limites da Terra Indígena mencionada”, continua. 

Por fim, o Ipaam conclui dizendo que reforçará o monitoramento e fiscalização da área em relação aos riscos ao meio ambiente.

“O Ipaam ressalta que as licenças para a realização de pesquisa não dão direito à extração e comercialização de minerais. Ressalta ainda que qualquer atividade neste sentido dentro de Terra Indígena é irregular e clandestina”. 

A região reúne 23 etnias indígenas e a operação é realizada pelo empresário de Porto Velho, Avemar Roberto Rocha, que contou ainda com autorização do general Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), já que a área está na faixa de fronteira com a Colômbia e a Venezuela. O general anulou o ato, mas a exploração continua.

Informação: acritica.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *