Amazonas

Três cidades do AM registram focos da raiva em animais e Adaf obriga vacinação de rebanhos

Fiscalização agropecuária em fazenda no Amazonas — Foto: Adaf
Fiscalização agropecuária em fazenda no Amazonas — Foto: Adaf

Três cidades do Amazonas registraram focos da raiva em animais: Tefé, Careiro e Autazes. A informação é da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), que tornou obrigatória a vacinação anual contra a doença em rebanhos dos municípios.

A raiva é uma zoonose — doença que pode ser transmitida de animais para humanos. Segundo a Adaf, a doença é causada por um vírus, quase sempre letal, que afeta o sistema nervoso central e evolui rapidamente.

Todos os mamíferos (domésticos, silvestres ou de produção) podem ser infectados e também transmitir a doença. O morcego hematófago é um dos principais transmissores na área rural.

De acordo com a Adaf, análises laboratoriais confirmaram a existência de focos da doença em Tefé, Careiro e Autazes. Após os registros, a agência tornou obrigatória a vacinação anual contra a raiva dos herbívoros em bovinos, bubalinos, ovinos, caprinos e equídeos com idade igual ou superior a 3 meses, nos três municípios.

A decisão está nas Portarias nº 17 e nº 18, publicadas no Diário Oficial do Estado (DOE) de 8 de fevereiro.

A fiscal agropecuária Larissa Carvalho, que coordena o Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros e Outras Encefalopatias (PNCRH) no Amazonas, afirmou que foi confirmado um caso de raiva em cada município. “Os próprios pecuaristas relataram as suspeitas à Adaf”, afirmou a instituição.

Segundo a médica veterinária, quando há confirmação da doença, a Adaf captura morcegos hematófagos e vacina os herbívoros (animais) que estão dentro do raio de 12 quilômetros do foco. O restante do município fica obrigado a imunizar seus animais por 2 anos.

“O produtor não poderá emitir Guia de Trânsito Animal (GTA) se não estiver com a vacina em dia. Caso não vacine, ele não poderá realizar movimentações nos animais”, enfatizou a fiscal.

A Adaf afirmou que faz, periodicamente, controle de morcegos hematófagos em propriedades rurais onde há incidência de ataques, com aplicação de pasta vampiricida. “É a melhor estratégia para o controle do vetor da raiva dos herbívoros”, ressaltou a instituição.

Vacina

O imunizante é encontrado em casas agropecuárias, e a vacinação deve ser notificada à Adaf pelo produtor. Os animais deverão ser revacinados após 30 dias.

Para a comprovação da vacinação, o proprietário dos animais deverá apresentar junto à Adaf a nota fiscal de aquisição da vacina e informar a data da vacinação, além do número de animais vacinados, por espécie.

Sintomas da raiva

A agência informou os principais sintomas da doença: animais com andar cambaleante, isolando-se do rebanho, deitados lateralmente e com pedalagem com as patas, assim como salivação excessiva e dificuldade de deglutição, como se estivessem engasgados.

“Atenção para não entrar em contato com os animais, nem colocar a mão na boca do animal, e chamar a Adaf o mais rápido possível”, alertou Larissa Carvalho.

O produtor pode entrar em contato com a Adaf diretamente nas unidades locais ou pelo telefone da Gerência de Defesa Animal (92) 99255-5409.

Informação: G1amazonas.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *